Fórum Social Mundial 2005

Dados do Projeto

Tipo: Público/Privado

Início: 26/01/2005

Término: 31/01/2005

Status: Concluído

 

Fórum Social Mundial 2005 

O V Fórum Social Mundial foi realizado em Porto Alegre entre os dias 26 e 31 de janeiro de 2005. Na marcha que marcou o início do Fórum, estiveram presentes mais de 200 mil pessoas. No total, foram 155 mil participantes cadastrados, sendo 35 mil integrantes do Acampamento da Juventude e 6.823 comunicadores. Cerca de 6.872 organizações de 151 países estiveram envolvidas em 2.500 atividades, distribuídas entre os 11 espaços temáticos do Território Social Mundial. As maiores delegações foram as do Brasil, da Argentina, dos Estados Unidos, do Uruguai e da França.

Cerca de 3.100 voluntários colaboraram na realização do encontro, em áreas como tradução, cultura, comunicação, logística e serviços, manutenção de redes e construções etc. Participaram 533 intérpretes de 30 países. Dezesseis idiomas foram traduzidos durante o V FSM: português, inglês, francês, espanhol, árabe, japonês, hebraico, alemão, italiano, coreano, guarani, hindi, quechua, uolof (África), bahasa (Indonésia), russo e libras (linguagem brasileira de sinais).


Temas do FSM 2005

Espaços temáticos
- Afirmando e defendendo os bens comuns da Terra e dos povos – Como alternativa à mercantilização e ao controle das transnacionais
- Arte e criação: construindo as culturas de resistência dos povos
- Comunicação: práticas contra-hegemônicas, direitos e alternativas
- Defendendo as diversidades, pluralidade e identidades
- Direitos humanos e dignidade para um mundo justo e igualitário
- Economias soberanas pelos e para os povos – Contra o capitalismo neoliberal
- Ética, cosmovisões e espiritualidades – Resistências e desafios para um novo mundo
- Lutas sociais e alternativas democráticas – Contra a dominação neoliberal
- Paz e desmilitarização – Luta contra a guerra, o livre comércio e a dívida
- Pensamento autônomo, reapropiação e socialização do conhecimento (dos saberes) e das tecnologias
- Rumo à construção de uma ordem democrática internacional e integração dos povos

Eixos transversais
- Emancipação social e dimensão política das lutas 
- Luta contra o capitalismo patriarcal
- Lutas contra o racismo e outras formas de exclusão baseadas na ascendência 
- Gênero
- Diversidade

 

REDE BRASILEIRA DE AGENDA 21 LOCAL - REBAL

Propósito da criação da Rebal foi de facilitar a troca de informações sobre experiências de implantação e funcionamento de Agenda 21 Local e estimular o surgimento de novos processos pelo país. Sua concepção foi resultado de diálogos entre a Coordenação da Agenda 21 do Ministério do Meio Ambiente e o Fórum Brasileiro de ONGs e Movimentos Sociais para o Meio Ambiente e Desenvolvimento (FBOMS). Seu marco inicial foi o lançamento da Carta de Princípios da Rede Brasileira de Agendas 21 Locais, lançado em 2005 no 5º Fórum Social Mundial.

Em dezembro de 2005 o MMA, por meio da Coordenação da Agenda 21 e a ONG Vitae Civilis – indicada pela coordenação do FBOMS - celebraram um convênio com o objetivo de prover as condições técnicas e materiais para a construção dessa Rede. O Vitae Civilis foi então a responsável pela execução do projeto Desenvolvimento Sustentável e Participação Social - Criação da Rede Brasileira de Agendas 21 Locais.

A Agenda 21 Local de Barueri,  naquele momento estava constituída  e apresentou sua experiência em Agenda 21 Escolar, que estava articulada na rede municipal de educação. O Movieco participou ativamente da implantação da Agenda 21 Escolar, num trabalho voluntário de seus ativistas.

O que é o Fórum Social Mundial?

O FSM é um espaço de debate democrático de idéias, aprofundamento da reflexão, formulação de propostas, troca de experiências e articulação de movimentos sociais, redes, ONGs e outras organizações da sociedade civil que se opõem ao neoliberalismo e ao domínio do mundo pelo capital e por qualquer forma de imperialismo. Após o primeiro encontro mundial, realizado em 2001, se configurou como um processo mundial permanente de busca e construção de alternativas às políticas neoliberais. Esta definição está na Carta de Princípios, principal documento do FSM.

O Fórum Social Mundial se caracteriza também pela pluralidade e pela diversidade, tendo um caráter não confessional, não governamental e não partidário. Ele se propõe a facilitar a articulação, de forma descentralizada e em rede, de entidades e movimentos engajados em ações concretas, do nível local ao internacional, pela construção de um outro mundo, mas não pretende ser uma instância representativa da sociedade civil mundial. O Fórum Social Mundial não é uma entidade nem uma organização.

Fontes:

http://www.forumsocialmundial.org.br/

http://www.agenda21nf.org.br/rebal.html

Publicidade

Movimento Ecológico | Rua Dr. Danton Vampret - 128 Aldeia de Barueri | Fone: (11) 4163-4382 | E-mail: movieco@movieco.org.br