Econotícias Online

Data: 24.03.2015

Ambientalistas pedem criação do Plano Nacional de Proteção de Nascentes

 
O coordenador do Programa Água para a Vida do WWF-Brasil, Glauco Kimura de Freitas, disse hoje (20) que as principais causas da crise hídrica no Sudeste brasileiro são o desmatamento e a degradação das nascentes dos rios. As soluções de infraestrutura apresentadas pelos governos e formadores de opinião para a crise não contemplam, segundo ele, a proteção das nascentes e a recuperação das nascentes degradadas.
 
 
"Temos ouvido muito sobre a construção de novos reservatórios e transposição de rios, mas a parte de proteção das nascentes, que é fundamental, está um pouco esquecida", comentou. A WWF-Brasil está preocupada porque entende que a legislação tem vulnerabilizado as nascentes.
 
 
Glauco Kimura de Freitas destacou que o novo Código Florestal desobrigou proprietários de terras de protegerem as nascentes intermitentes, que secam naturalmente em períodos do ano e depois voltam a encher. Isso, segundo ele, coloca em risco as nascentes. "Temos visto que só chuva não enche reservatório, porque as nascentes dos rios que abastecem os reservatórios já foram todas degradadas".
 
 
A proteção das nascentes se insere entre as medidas importantes de adaptação às mudanças climáticas, que estão sendo colocadas em prática por grande número de países. O coordenador do Programa Água para a Vida da WWF-Brasil explicou que com a atual seca no país, "a pior em 85 anos", muitos rios que eram considerados perenes secaram e passaram a ser qualificados como intermitentes.
 
 
A petição ficará à disposição da população para a coleta de assinaturas até meados de junho. A meta é garantir, pelo menos, 50 mil adesões, conforme o ambientalista. O abaixo-assinado será encaminhado à presidenta Dilma Rousseff, para que ela tome as medidas necessárias, no Executivo, em recursos e capacidade técnica, para compor um grupo interministerial que possa criar essa política nacional de proteção de nascentes. "Isso vai garantir o nosso futuro. Se não protegermos as nascentes agora, colocaremos em risco a segurança hídrica no país, no médio e longo prazos", diz Kimura de Freitas.
 
 
Ele acrescenta que o Dia Mundial da Água é uma data importante, que está intimamente relacionada à seca enfrentada no país. Do mesmo modo, a Hora do Planeta é uma campanha global que a WWF faz todos os anos de proteção ao meio ambiente. A sétima edição ocorrerá no dia 28 deste mês, quando milhares de cidades, empresas e pessoas apagarão suas luzes entre as 20h30 e as 21h30, em um grande alerta mundial contra as mudanças climáticas. No Brasil, já está confirmada a participação de 108 cidades em todas as regiões brasileiras, incluindo 18 capitais.
 
 
O objetivo da Hora do Planeta, este ano, no Brasil, não é só apagar as luzes, mas chamar a população à ação. "E o chamado à ação é justamente assinar a petição, para que o governo crie um instrumento de proteção de nascentes", afirma Kimura de Freitas, para quem trata-se de  uma mobilização essencial do povo brasileiro.
http://noticias.uol.com.br/meio-ambiente/ultimas-noticias/redacao/

Listagem de Artigos

Primeira 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40 41 42 43 44 45 46 47 48 49 50 51 52 53 54 55 56 57 58 59 60 61 62 63 64 65 66 67 68 69 70 71 72 73 74 75 76 77 78 Última


Movimento Ecológico | Rua Dr. Danton Vampret - 128 Aldeia de Barueri | Fone: (11) 4163-4382 | E-mail: movieco@movieco.org.br