Econotícias Online

Data: 16.06.2014

Cartão Vermelho na Copa dos Transgênicos

O Instituto Humanitas Unisinos traduziu, nesta última quinta-feira, uma carta aberta publicada no site Ecocosas, de cientistas de todo o mundo a todos os governos sobre a preocupação com os perigos que os transgênicos representam para a biodiversidade e exigem uma moratória imediata (suspensão) sobre este tipo de cultivo em conformidade com o princípio da precaução.
 
Segundo os cientistas, os cultivos transgênicos intensificam o monopólio corporativo, promovem a biopirataria dos conhecimentos indígenas e dos recursos genéticos, violam os direitos humanos básicos e a dignidade, o compromisso da saúde, impedem a pesquisa médica e científica e são contra o bem-estar dos animais.
 
Além do mais, exacerbam a desigualdade e impedem a mudança para uma agricultura sustentável que possa beneficiar as famílias de agricultores e que garanta a segurança alimentar e a saúde em todo o mundo.
 
Para legitimar a causa, a carta é assinada por 815 cientistas de 82 países e pede “a suspensão imediata de todas as licenças ambientais para cultivos transgênicos e produtos derivados dos mesmos, tanto comercialmente como em testes em campo aberto, durante ao menos cinco anos; as patentes dos organismos vivos, dos processos, das sementes, das linhas de células e genes devem ser revogadas e proibidas; e exige-se uma pesquisa pública exaustiva sobre o futuro da agricultura e a segurança alimentar para todos.”
 
No Protocolo de Biossegurança de Cartagena negociado em Montreal, em janeiro de 2000, mais de 120 governos se comprometeram a aplicar o princípio da precaução e garantir que as legislações de biossegurança em nível nacional e internacional tenham prioridade sobre os acordos comerciais e financeiros da Organização Mundial do Comércio.
 

Sucessivos estudos documentaram a produtividade e os benefícios sociais e ambientais da agricultura ecológica e familiar, de baixos insumos e sustentável. Ela oferece uma forma para restaurar as terras agrícolas degradadas pelas práticas agronômicas convencionais e possibilita a autonomia dos pequenos agricultores familiares para combater a pobreza e a fome.
 
De acordo com o programa para a alimentação da ONU (FAO), há alimentos suficientes para saciar a fome do mundo uma vez e meia sem levar em conta qualquer melhora no rendimento proporcionado pelos transgênicos até 2030. E, assim mesmo, um bilhão de pessoas passam fome.
 
Os governos africanos condenaram a afirmação da Monsanto de que os transgênicos são necessários para alimentar os famintos do mundo: “Nós nos opomos firmemente ao fato de que a imagem dos pobres e famintos dos nossos países esteja sendo utilizada pelas grandes empresas multinacionais para desenvolver tecnologia que não é segura nem para o meio ambiente, nem economicamente benéfica para nós. Acreditamos que isso vá destruir a diversidade, o conhecimento local e os sistemas agrícolas sustentáveis que nossos campesinos desenvolveram durante milhares de anos”.
 
Você também pode unir-se ao time dos cientistas. Como? Não consumindo produtos transgênicos! Todos os produtos transgênicos são obrigados a estampar a letra T na embalagem. Deixando de consumir esses produtos a demanda cai e, consequentemente, a oferta também. Pense nisso e tome uma atitude!
Henny Freitas Foto: Ecocosas

Listagem de Artigos

Primeira 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40 41 42 43 44 45 46 47 48 49 50 51 52 53 54 55 56 57 58 59 60 61 62 63 64 65 66 67 68 69 70 71 72 73 74 75 76 77 78 Última


Movimento Ecológico | Rua Dr. Danton Vampret - 128 Aldeia de Barueri | Fone: (11) 4163-4382 | E-mail: movieco@movieco.org.br