Mudança Climática

Temas Relacionados

Mudanças Climáticas são alterações no sistema climático geradas pelo aquecimento, provocado pela emissão de gases de efeito estufa. O aumento da temperatura do planeta acarreta mudanças no ciclo das chuvas, nos oceanos, entre outros, causando diferentes efeitos na agricultura, no abastecimento de água, na biodiversidade ameaçando a vida na terra. Alguns deles já irreversíveis, não são igualmente distribuídos nas diversas regiões e países. Pessoas que habitam regiões costeiras ou nas quais haverá grande mudança no regime de chuvas, por exemplo, serão mais afetadas pelos impactos das mudanças climáticas, e eventualmente terão que migrar, ou adaptar-se.

O modo de produção e consumo desde a revolução industrial vem contribuindo para o aumento da temperatura na terra. Já houve um aumento de 0,7 graus Celsius e estima-se que a média do planeta poderá elevar-se até mais de 2 graus (em alguns locais a temperatura poderá ser de mais de 5 graus). O aumento da temperatura média do planeta provoca as mudanças climáticas que, por sua vez, trarão impactos irreversíveis para nossa vida no planeta.
 
 
Combustíveis Fósseis
 
A maior fonte de emissões globais de gases de efeito estufa é o uso de combustíveis fósseis nos países industrializados. A transformação do uso de territórios, com o desmatamento, expansão da agricultura e da pecuária, está se tornando uma fonte muito importante de emissões de gases de efeito estufa. Estima-se que o desmatamento já seja responsável por entre 10% e 35% das emissões globais anuais. As principais fontes globais de emissões desse tipo são o desmatamento e as queimadas das florestas tropicais. O Brasil é um grande emissor de gases de efeito estufa, sobretudo em função das emissões associadas ao desmatamento e às queimadas (por volta de 70% das emissões nacionais), e ao uso de combustíveis fósseis (cerca de 25%). Estudos colocam o Brasil como o 4º maior emissor do planeta com base nas emissões recentes. 
 
 
Consequências no Brasil 
 
• Savanização da Amazônia, ou seja, a conversão em cerrado de uma grande parte da floresta amazônica, como resultado do aumento da temperatura e menor pluviosidade, combinados com a ação humana que causa desmatamento e degradação, tornando a floresta cada vez mais vulnerável às queimadas e sujeita a longos períodos de estiagem.
 
• Conversão de partes da caatinga do Nordeste brasileiro em semi-deserto.
 
• Redução da vazão em rios brasileiros na Amazônia, Pantanal e na bacia do São Francisco; alteração no regime de chuvas e vazões de rios no Sul e Sudeste, afetando a geração de hidroeletricidade, a navegação, o abastecimento de água e a biodiversidade aquática.
 
• Aumento drástico das temperaturas na região amazônica central como consequência da redução da absorção de calor pela transpiração e evaporação das florestas.
 
• Perda da retenção de umidade do solo em vastas áreas das principais regiões de agricultura do Brasil devido à menor pluviosidade e às altas temperaturas, reduzindo o produto das colheitas e restringindo as áreas apropriadas para cultivo.
 
• Aumento do alcance e incidência de doenças como a malária e a dengue.
 
• Problemas de todo tipo nas cidades costeiras, onde mora parte importante da população do país provocado pelo aumento do nível do mar.
 
 
Nosso Desafio
 
Reduzir as emissões de gases do efeito estufa decorrentes das atividades humanas! Você pode fazer a sua parte observando o modo como se relaciona com o planeta, observe o seu consumo, nas compras de madeira para construção ou móveis, em produtos eletrodomésticos, cosméticos, na alimentação entre outros. Seus hábitos de consumo estão diretamente relacionados às mudanças climáticas. 
 
 
Sua pegada de carbono
 
Uma forma de avaliar o impacto que nosso consumo tem sobre o ambiente é por meio da estimativa de emissões de gases de efeito estufa associada às nossas atividades cotidianas e que alguns denominam como pegada de carbono. 
 
Fontes e sumidouro de gases do efeito estufa Fontes são todos os processos e dinâmicas, naturais ou de atividades humanas, que emitem gases de efeito estufa para a atmosfera. Por exemplo, na decomposição anaeróbica (sem presença de oxigênio) de dejetos animais e resíduos orgânicos sólidos ou líquidos é produzido metano (CH4), um gás que tem potencial de aquecimeto da atmosfera 21 vezes maior que o gás carbônico (CO2); este último é um gás que resulta da queima de madeira e biomassa, de combustíveis fósseis e de outros materiais. Os gases CFCs e outros halocarbonos são usados em aerossóis e aparelhos de refrigeração; o ozônio e o óxido nitroso são emitidos em indústrias químicas e na decomposição de fertilizantes. Os gases de efeito estufa emitidos ficam várias décadas na atmosfera, e por isso, alguns efeitos do aquecimento global e das mudanças climáticas já são irreversíveis. Sumidouro é qualquer processo, atividade ou mecanismo que remova gases de efeito estufa da atmosfera. 
 
 
Adaptação à Mudança de Clima 
 
No âmbito da Convenção - Quadro sobre Mudanças Climáticas da ONU (UNFCCC), o termo adaptação refere-se às medidas necessárias para adaptar atividades humanas (agricultura, abastecimento de água, geração de energia, transporte, habitação etc.) aos impactos irreversíveis de mudanças de clima. Por exemplo, se em determinada região houver diminuição significativa de chuvas, eventualmente o sistema de captação e abastecimento publico de água terá que ser adaptado aos mananciais e fluxos que continuarem disponíveis. Mitigação é qualquer medida, política ou ação que possa prevenir ou diminuir a emissão de gases de efeito estufa. Evitar o desmatamento, ampliar o uso de energia renovável e expandir o transporte público são alguns exemplos de medidas de mitigação.
Autoria Fonte: Vitae Civilis “Aquecimento Global e o Brasil: Vamos ser vítimas, cúmplices ou vamos realmente fazer algo?”.


Movimento Ecológico | Rua Dr. Danton Vampret - 128 Aldeia de Barueri | Fone: (11) 4163-4382 | E-mail: movieco@movieco.org.br